quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Avião da Ethiad Airways - Tem que ser visto... INACREDITÁVEL




Este espetacular Airbus 340-600, novinho em folha, o 2º maior avião de transporte de passageiros já construído, está estacionado à porta do hangar em Toulouse, França, sem uma horinha de voo que seja.

 

 

Chega a tripulação árabe da ADAT (Abu Dhabi Aircraft Technologies) para realizar testes preliminares no solo, tais como ligações dos motores, antes da entrega da aeronave à "Etihad Airways", de Abu Dhabi. A tripulação da ADAT conduz o A340-600 pelo 'taxi-way' (circulações periféricas) até à zona de descolagem.

 

 

De seguida, elevaram todos os quatro motores para a potência de descolagem, com um avião praticamente vazio. Sem terem lido os manuais de operação, não têm ideia do peso exato de um A340-600 vazio e como é leve.

 

 

O alarme de descolagem disparou no cockpit devido a todos os 4 propulsores se encontrarem à potência máxima.

Os computadores de aviónica assumiram que estavam a tentar descolar, mas as configurações necessárias (flaps/slats, etc.) não se encontravam feitas devidamente.

 

 

Um dos tripulantes da ADAT decidiu desligar o Sensor de Proximidade do Solo para silenciar o alarme. Este procedimento "engana" o avião, fazendo-o "pensar" que está no ar.

 

 

Os computadores libertaram automaticamente todos os travões e dispararam o avião. A tripulação da ADAT não fazia a menor ideia de que tudo isto é um sistema de segurança para impedir que os pilotos aterrem o avião com os travões a funcionar.

 

 

Nem um único dos sete homens da tripulação árabe teve a inteligência de inverter a potência dos reatores da sua configuração máxima, e por isso a aeronave novinha em folha, no valor de 200 milhões de dólares, chocou em cheio numa barreira de disparo, ficando destruída.

 

 

Desconhece-se a extensão dos ferimentos sofridos pela tripulação, devido ao blackout noticioso sobre o assunto, quer em França quer nos outros países.

 

 

A cobertura mediática do caso foi considerada como sendo insultuosa para os árabes muçulmanos.

 

 

Só agora as fotos começam a ser divulgadas, meio em segredo.

 

 

Um Airbus: 200 milhões de dólares

Tripulação árabe sem treino: salários de 300 mil dólares por ano

Manual de operações não lido: 300 dólares

Choque do avião contra muro de retenção, com vitória do muro: sem preço.

 

Não foi por mero acaso que a Natureza lhes deu camelos!


Sem comentários: